• RECEBA NOSSOS INFORMES
  • 27 de junho de 2017

Em Foco

Fique por dentro das atividades do Idec e das notícias de seu interesse

Filtrar conteúdo por tema:

tamanho do texto -A +A normal

Internet 08 Jun 2017

Idec explica problemas de site que vaza informações pessoais na internet

Página chamada Telefone.Ninja divulga e-mails, endereços e telefones de milhões de brasileiros. Instituto também estuda notificar as autoridades competentes sobre o caso, além do próprio site, alertando sobre as violações


O Idec divulgou ontem (07) uma nota técnica aos consumidores para explicar sobre violações às regras de proteção de dados pessoais e à privacidade cometidas pelo site Telefone.Ninja
 
Desde segunda-feira, a página tem gerado uma série de discussões em redes sociais por disponibilizar informações como e-mails, endereços físicos e números de telefone de milhões de brasileiros. 
 
O site afirma que se apoia em legislações sobre a divulgação pública de dados dos assinantes, como a Lei Geral de Telecomunicações (Lei nº 9.472/97) e a Resolução da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) nº 66/1998. 
 
No entanto, o advogado e pesquisador do Idec Rafael Zanatta explica que tais legislações só garantem amparo à divulgação de informações sobre assinantes de telefonia fixa, não existindo base jurídica para obtenção de “listas públicas” sobre usuários de telefonia móvel.
 
Além disso, há problemas legais em razão da falta de Política de Privacidade, prevista no artigo 7º, VI do Marco Civil da Internet, e de explicações sobre como os dados pessoais são tratados pelo Telefone.Ninja.
 
“Ainda não está claro como os dados de celulares são obtidos, mesmo assim, há necessidade de medidas administrativas e judiciais para a devida garantia da proteção dos dados pessoais dos consumidores brasileiros, nos termos do Marco Civil da Internet e das resoluções da Anatel, e investigação sobre a origem das informações utilizadas pelo Telefone Ninja”, afirma Zanatta.
 
Abertura de investigações
 
Na nota, o Idec defende abertura de uma investigação para esclarecer se essas informações são oriundas de vazamentos de bancos de dados, de interceptação ilícita ou de repasse voluntário por parte das operadoras de serviços de telecomunicações.
 
O Instituto também estuda a possibilidade de notificar as autoridades competentes sobre o caso, além do próprio site alertando sobre as violações. “Como há descumprimento do artigo 7º do Marco Civil da Internet, é necessário a correta identificação dos criadores e gestores do site Telefone.Ninja, para a aplicação da advertência e das demais sanções previstas na lei”, finaliza Zanatta. 
 
Proteção legal 
 
Não existem indícios que haja vírus ou técnicas de phishing - crime em que internautas são convencidos a revelar informações pessoais, como senhas e dados de cartão de crédito.
 
O usuário que desejar retirar suas informações da lista pode acessar o site e retirá-las. No entanto, o advogado afirma que, devido às violações cometidas pelo site, qualquer consumidor que se sinta lesado pela divulgação desses dados pode tomar medidas judiciais contra os responsáveis, assim que eles forem identificados.

Avalie este conteúdo
  • Nenhum comentário, seja o primeiro.

Deixe o seu comentário


  • Caracteres restantes: 1000
  • 1. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.
  • 2. O Idec não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários, que não são revisados. Havendo necessidade, o Idec reserva-se o direito de eliminar comentários em desacordo com o propósito do site.
  • 3. Se, por mais de uma vez, forem descumpridas quaisquer regras contidas na presente Política ou forem verificadas ilegalidades, o comentário será automaticamente excluído do website do Idec. A qualquer instante, o sistema de inclusão de comentários poderá ser cancelado sem necessidade de aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
  • 4. Os comentários não poderão conter os seguintes itens: banners publicitários; websites que façam vendas online; material pornográfico; palavras de baixo calão; informação sobre atividades ilegais e/ou incentivo ao crime; atividades ilegais incluindo menores de 18 anos (de acordo com o disposto no artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente); material depreciativo; ofensivo e/ou mentiroso; propaganda política referindo-se a candidatos, partidos ou coligações, bem como propaganda a respeito de seus órgãos ou representantes; utilização do serviço, desvirtuando sua finalidade, com o intuito de cometer qualquer atividade ilegal; convite à participação em atividades de concursos, correntes, lixo eletrônico, spam ou quaisquer mensagens periódicas ou não solicitadas (comerciais ou não) ou abusivas.
  • 5. A presente Política contendo as condições de uso dos comentários no website do Idec é regida pela legislação vigente da República Federativa do Brasil. Os usuários submetem-se ao Foro exclusivo da Comarca da Capital do Estado de São Paulo para dirimir quaisquer questões porventura incidentes.
  • 6 .O usuário deve fornecer informações verdadeiras, exatas, atuais e completas quando efetuar o registro no formulário para realizar um comentário. Essas as informações são protegidas por senha para a sua segurança e privacidade.
  • 7. Os usuários declaram concordar com todas as condições descritas acima.
Limite de 256 caracteres. Enviar por e-mail
Para:
Todos os campos são obrigatórios.

Filtrar por tema:

  • Enquetes

    Alimentos

    Você é a favor de manter o símbolo "T" no rótulo para identificar o uso de transgênicos?

  • Revista

    Banda Larga Fixa

    Músicas virtuais, problemas reais

    Avaliamos os sites Escute, Sonora  e UOL Megastore,e constatamos práticas que desrespeitam os consumidores, como músicas que só rodam em determinado programa, cópias limitadas e bloqueio ao fim da assinatura do serviço

RECEBA NOSSOS INFORMES
SIGA O
Linked.in RSS Twitter Facebook