Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Não mexam na minha saúde

Peça que os deputados rejeitem as propostas que acabam com os direitos dos consumidores de planos de saúde
#ea0000
Saúde
Batalhamos por seus direitos nos planos de saúde, pela oferta adequada de medicamentos e pelo equilíbrio dos serviços privados com o SUS.

A saúde é um direito social, garantido pela Constituição brasileira. Na prática, porém, sabemos que há muitas barreiras para que ele seja de fato exercido pelos cidadãos no sistema público e privado. Nesse cenário, orientamos sobre seus direitos e estimulamos a denúncia de práticas abusivas. Também lutamos para melhorar a qualidade dos planos de saúde, pela oferta adequada de medicamentos e defendemos a valorização do SUS (Sistema Único de Saúde) como garantidor do direito à saúde de todos.

20/10/2017
Atualizado: 21/11/2017
Uma comissão especial na Câmara dos Deputados está mudando a Lei de Planos de Saúde. O relatório, apresentado em 18 de outubro e que deve ser votado em 29 de novembro, altera as regras para atender aos interesses das empresas e não protege os consumidores.
 
Uma das medidas mais prejudiciais é a alteração do Estatuto do Idoso para permitir reajustes diluídos após os 60 anos.
 
Outra medida prejudicial é a redução do valor das multas aplicadas contra planos de saúde, o que desestimula as operadoras a respeitar os direitos dos consumidores e reduz o efeito de suas denúncias.
 
Uma terceira situação grave é que as operadoras podem ficar livres para realizar apenas os procedimentos que estão na lista de cobertura mínima da ANS. Essa proposta coloca por terra muitas decisões judiciais favoráveis aos consumidores e pode levar à restrição de coberturas.
 
É preciso agir para impedir esses e outros retrocessos! Clique aqui e saiba mais detalhes do que pode piorar!
 

 

       

Para saber quem está a favor e quem está contra o consumidor, o Idec enviou carta aos deputados da comissão especial perguntando seu posicionamento a respeito do relatório da nova Lei de Planos de Saúde.
 
A posição de alguns parlamentares já é publicamente conhecida, seja por declarações durante as audiências públicas ou à imprensa, por exemplo. Porém, até agora, a maioria deles ainda não se pronunciou. Por isso, você pode ajudar a pressioná-los, pedindo que se manifestem a favor dos consumidores.
 
Clique no ícone de envelope logo abaixo da foto para ver o e-mail de cada deputado. Envie uma mensagem a eles e cobre que, na hora de votar o relatório, levem em conta os seus interesses e o seu direito à saúde.
 
 
 
PRESIDENTE                    
DA COMISSÃO                   RELATOR
        
 
 
TITULARES
                                  
 
                                  
 
                                  
 
                                  
 
                                  
 
                
 
 
SUPLENTES
                                   
 
                                   
 
                                   
 
                                   
 
Esta mensagem será enviada para:

Comissão especial de planos de saúde

Envie uma mensagem

4179 apoiadores
417,900
Faltam -4.178 envios para a meta de 1
Leia a carta
Ao assinar, você aceita os Termos de Uso e a Política de Privacidade do Idec e concorda em receber e-mails ocasionais sobre as mobilizações

Conte aos seus amigos

Facebook icon
Twitter icon
e-mail icon
Imprimir
#ea0000
Saúde
Batalhamos por seus direitos nos planos de saúde, pela oferta adequada de medicamentos e pelo equilíbrio dos serviços privados com o SUS.

A saúde é um direito social, garantido pela Constituição brasileira. Na prática, porém, sabemos que há muitas barreiras para que ele seja de fato exercido pelos cidadãos no sistema público e privado. Nesse cenário, orientamos sobre seus direitos e estimulamos a denúncia de práticas abusivas. Também lutamos para melhorar a qualidade dos planos de saúde, pela oferta adequada de medicamentos e defendemos a valorização do SUS (Sistema Único de Saúde) como garantidor do direito à saúde de todos.

20/10/2017
Atualizado: 21/11/2017
Uma comissão especial na Câmara dos Deputados está mudando a Lei de Planos de Saúde. O relatório, apresentado em 18 de outubro e que deve ser votado em 29 de novembro, altera as regras para atender aos interesses das empresas e não protege os consumidores.
 
Uma das medidas mais prejudiciais é a alteração do Estatuto do Idoso para permitir reajustes diluídos após os 60 anos.
 
Outra medida prejudicial é a redução do valor das multas aplicadas contra planos de saúde, o que desestimula as operadoras a respeitar os direitos dos consumidores e reduz o efeito de suas denúncias.
 
Uma terceira situação grave é que as operadoras podem ficar livres para realizar apenas os procedimentos que estão na lista de cobertura mínima da ANS. Essa proposta coloca por terra muitas decisões judiciais favoráveis aos consumidores e pode levar à restrição de coberturas.
 
É preciso agir para impedir esses e outros retrocessos! Clique aqui e saiba mais detalhes do que pode piorar!
 

 

       

Para saber quem está a favor e quem está contra o consumidor, o Idec enviou carta aos deputados da comissão especial perguntando seu posicionamento a respeito do relatório da nova Lei de Planos de Saúde.
 
A posição de alguns parlamentares já é publicamente conhecida, seja por declarações durante as audiências públicas ou à imprensa, por exemplo. Porém, até agora, a maioria deles ainda não se pronunciou. Por isso, você pode ajudar a pressioná-los, pedindo que se manifestem a favor dos consumidores.
 
Clique no ícone de envelope logo abaixo da foto para ver o e-mail de cada deputado. Envie uma mensagem a eles e cobre que, na hora de votar o relatório, levem em conta os seus interesses e o seu direito à saúde.
 
 
 
PRESIDENTE                    
DA COMISSÃO                   RELATOR
        
 
 
TITULARES
                                  
 
                                  
 
                                  
 
                                  
 
                                  
 
                
 
 
SUPLENTES
                                   
 
                                   
 
                                   
 
                                   
 
Esta mensagem será enviada para:

Comissão especial de planos de saúde