Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Quais os cuidados ao alugar um imóvel para temporada?

Checar informações sobre a localização e a segurança do imóvel são alguns passos recomendáveis para evitar problemas

separador

Atualizado: 

12/01/2018

Seja para quem pretende aproveitar o calorão típico do verão ou mesmo se programar para o Carnaval, alugar um imóvel para a temporada pode ser uma boa opção, principalmente para quem viaja em um grupo de amigos ou com a família, já que costuma sair mais barato do que ficar em hotel ou pousada.

Mas é preciso tomar alguns cuidados para que o seu "lar" por uns dias não se torne um pesadelo. Confira.

Faça sempre uma boa pesquisa

As precauções começam por pesquisar bastante sobre a idoneidade do locador (ou da imobiliária) e checar as características do imóvel indicadas na oferta. Busque referências com amigos ou a partir de comentários na internet de outros clientes que já se hospedaram no local.

Verifique a localização do imóvel

Consulte o endereço no Google Maps, ou ferramentas similares, e veja a distância do local até os principais pontos que pretende visitar, o centro e o aeroporto ou rodoviária, por exemplo. 

Observe também as condições de acesso ao local, a infraestrutura da região - se há padarias, açougues, supermercados próximos -, bem como as condições de segurança do imóvel.

De olho no contrato

Caso a locação seja feita diretamente com o proprietário, sem intermediação de uma imobiliária, por exemplo, faça um contrato detalhando o que foi tratado verbalmente, como as datas de entrada e saída do imóvel, nome e endereço do proprietário, preço e forma de pagamento, local de retirada e entrega das chaves etc.

Oferta descumprida

É importante ressaltar que o fornecedor é obrigado a cumprir com a oferta feita. Assim, se as condições da casa forem diferentes do que foi prometido, o locatário tem o direito de exigir a devolução do valor pago, como garante o artigo 35 do Código de Defesa do Consumidor.

Para tanto, o inquilino precisa desistir de ficar no imóvel. Se optar por permanecer no local, o consumidor pode negociar um abatimento no preço, proporcional à queda na qualidade das características ofertadas.

Problemas?

Se houver problemas, tente resolver amigavelmente com o fornecedor e, caso não obtenha sucesso, procure o Procon ou o Juizado Especial Cível (JEC).

Importante lembrar que, para o Idec, sites de aluguel de temporada como Airbnb e Booking.com (que realizam todo o trâmite de contratação, inclusive de pagamento) são solidariamente responsáveis por problemas com a locação. Saiba mais sobre o tema na reportagem da Revista do Idec