• RECEBA NOSSOS INFORMES
  • 08 de dezembro de 2016

Em Foco

Fique por dentro das atividades do Idec e das notícias de seu interesse

Filtrar conteúdo por tema:

tamanho do texto -A +A normal

Alimentos 12 Jan 2016

Exemplo para o Brasil: Bolívia aprova lei de alimentação saudável

Medida prevê a regulação da publicidade, mudanças na rotulagem de alimentos e ações que promovam hábitos mais saudáveis. Outros países da América Latina já têm leis semelhantes que podem inspirar melhorias na legislação brasileira


Na última sexta-feira, 8, o governo da Bolívia aprovou uma lei que estabelece diretrizes e mecanismos para promover hábitos alimentares mais saudáveis entre a população e prevenir doenças crônicas relacionadas à alimentação, como obesidade e hipertensão.
 
Para o Idec, a medida representa um avanço nos direitos dos consumidores em prol da alimentação adequada. “A aprovação da lei boliviana reforça o protagonismo da América Latina na vanguarda das políticas públicas voltadas à proteção da cultura alimentar e à prevenção de doenças crônicas não transmissíveis”, comenta a nutricionista e pesquisadora do Idec Ana Paula Bortoletto. 
 
Outros países latinoamericanos, como Peru e México, têm regras semelhantes para a promoção da alimentação saudável, principalmente entre as crianças. “Isso fortalece e incentiva mudanças na legislação também no Brasil”, diz a nutricionista.  
 
Segundo Ana Paula, novas regras para rotulagem devem ser discutidas em breve no país. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deve anunciar ainda este ano uma consulta pública sobre a inclusão de informações nutricionais na parte frontal da embalagem de alimentos, de modo que seja mais visível e compreensível para o consumidor brasileiro.
 
Principais avanços
 
Entre as medidas aprovadas na Bolívia, destaca-se a adoção do semáforo nutricional no rótulo de alimentos processados e de bebidas não alcoólicas. De acordo com a lei, os fabricantes terão de utilizar o sistema gráfico que informa o teor de gordura saturada, açúcar adicionado e sódio, com base nas cores do semáforo: vermelho (alta), amarelo (média) e verde (baixa).
 
Além disso, tanto nos rótulos quanto na publicidade de alimentos não saudáveis (com alto teor de gorduras, açúcar ou sódio), devem ser incluídas mensagens de promoção do consumo de alimentos saudáveis e sobre os benefícios da atividade física, de acordo com as orientações do Ministério da Saúde local. 
 
A lei também recomenda que a publicidade de alimentos não utilize imagens de produtos naturais (como frutas) em produtos que não são; ou informações que podem induzir ao erro sobre os benefícios nutricionais dos produtos anunciados.
 
O prazo para adaptação às novas regras é de um ano. Confira AQUI a íntegra da lei (em espanhol).

Avalie este conteúdo
  • Nenhum comentário, seja o primeiro.

Deixe o seu comentário


  • Caracteres restantes: 1000
  • 1. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.
  • 2. O Idec não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários, que não são revisados. Havendo necessidade, o Idec reserva-se o direito de eliminar comentários em desacordo com o propósito do site.
  • 3. Se, por mais de uma vez, forem descumpridas quaisquer regras contidas na presente Política ou forem verificadas ilegalidades, o comentário será automaticamente excluído do website do Idec. A qualquer instante, o sistema de inclusão de comentários poderá ser cancelado sem necessidade de aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
  • 4. Os comentários não poderão conter os seguintes itens: banners publicitários; websites que façam vendas online; material pornográfico; palavras de baixo calão; informação sobre atividades ilegais e/ou incentivo ao crime; atividades ilegais incluindo menores de 18 anos (de acordo com o disposto no artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente); material depreciativo; ofensivo e/ou mentiroso; propaganda política referindo-se a candidatos, partidos ou coligações, bem como propaganda a respeito de seus órgãos ou representantes; utilização do serviço, desvirtuando sua finalidade, com o intuito de cometer qualquer atividade ilegal; convite à participação em atividades de concursos, correntes, lixo eletrônico, spam ou quaisquer mensagens periódicas ou não solicitadas (comerciais ou não) ou abusivas.
  • 5. A presente Política contendo as condições de uso dos comentários no website do Idec é regida pela legislação vigente da República Federativa do Brasil. Os usuários submetem-se ao Foro exclusivo da Comarca da Capital do Estado de São Paulo para dirimir quaisquer questões porventura incidentes.
  • 6 .O usuário deve fornecer informações verdadeiras, exatas, atuais e completas quando efetuar o registro no formulário para realizar um comentário. Essas as informações são protegidas por senha para a sua segurança e privacidade.
  • 7. Os usuários declaram concordar com todas as condições descritas acima.
Limite de 256 caracteres. Enviar por e-mail
Para:
Todos os campos são obrigatórios.

Filtrar por tema:

  • Enquetes

    Direitos do Consumidor

    Você já entrou com ação na Justiça por um problema de consumo?

  • Revista

    Banda Larga Fixa

    Músicas virtuais, problemas reais

    Avaliamos os sites Escute, Sonora  e UOL Megastore,e constatamos práticas que desrespeitam os consumidores, como músicas que só rodam em determinado programa, cópias limitadas e bloqueio ao fim da assinatura do serviço

RECEBA NOSSOS INFORMES
SIGA O
Linked.in RSS Twitter Facebook