• RECEBA NOSSOS INFORMES
  • 23 de fevereiro de 2017

Em Foco

Fique por dentro das atividades do Idec e das notícias de seu interesse

Filtrar conteúdo por tema:

tamanho do texto -A +A normal

Telecomunicações 13 Fev 2017

Idec integra GT para discutir PL das Teles sob a perspectiva do consumidor

Grupo foi criado pelo Comitê de Usuários da Anatel e tem como objetivo avaliar os impactos da reforma da lei


Na semana passada, foi criado pelo Comitê de Defesa dos Usuários de Serviços de Telecomunicações (CDUST), órgão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), um Grupo de Trabalho (GT) para avaliar os impactos do Projeto de Lei da Câmara (PLC) 79/2016, conhecido como PL das Teles. 
 
O GT foi criado a partir de uma proposta formal do Idec, que é membro do CDUST, durante a última reunião do comitê. O Instituto apontou suas críticas ao rito de tramitação do PLC, votado às pressas no Senado Federal e encaminhado para sanção presidencial sem discussão em plenário. 
 
“Esperamos que o GT seja capaz de identificar falhas e gargalos do PLC da perspectiva da defesa dos interesses coletivos e direitos dos consumidores. Além disso, é preciso assegurar transparência no modo que as novas metas de universalização de internet banda larga serão estabelecidas pela Anatel”, afirma Rafael Zanatta, advogado pesquisador de telecomunicações do Idec.
 
Segundo o pesquisador, o grupo também pretende avaliar as consultas públicas em andamento e os diferentes projetos que tratam da reforma do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust). “O Fust precisa ser efetivamente utilizado para auxiliar na universalização dos serviços de telecomunicações no Brasil”, defende.
 
Zanatta será um dos relatores do GT, junto com Breno Vale, da Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint). O grupo também será composto por outras instituições, como a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) e o Procon Boa Vista.
 
O primeiro relatório do GT será apresentado no dia 19 de maio, durante a reunião do CDUST.
 
Críticas ao PL das Teles
No fim de dezembro, o Idec enviou uma carta à Presidência da República pedindo que, caso o PLC fosse enviado para sanção, que fosse vetado. 
 
O projeto possui irregularidades formais que ferem a Constituição, devido à sua passagem relâmpago pelo Senado, sem votação em plenário. Além disso, para o Idec, o conteúdo do projeto viola o interesse público ao permitir a transferência de patrimônio público da União avaliado em quase R$ 100 bilhões, conforme informações do Tribunal de Contas da União (TCU)
 
O PL das Teles também altera o atual sistema de concessão de telecomunicações para o de mera autorização, tornando mais frouxas as regras para as empresas do setor em relação à metas de qualidade e tarifas. “Pairam muitas dúvidas sobre o conteúdo deste projeto, que já foi criticado pela própria Consultoria Legislativa do Senado e por muitos profissionais do setor de telecomunicações. Ele precisa ser discutido em plenário. O mais prudente é a realização de novas audiências públicas, estudos técnicos e avaliação por novas comissões, especialmente a de Defesa do Consumidor”, defende Zanatta.
 

Avalie este conteúdo
  • Nenhum comentário, seja o primeiro.

Deixe o seu comentário


  • Caracteres restantes: 1000
  • 1. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.
  • 2. O Idec não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários, que não são revisados. Havendo necessidade, o Idec reserva-se o direito de eliminar comentários em desacordo com o propósito do site.
  • 3. Se, por mais de uma vez, forem descumpridas quaisquer regras contidas na presente Política ou forem verificadas ilegalidades, o comentário será automaticamente excluído do website do Idec. A qualquer instante, o sistema de inclusão de comentários poderá ser cancelado sem necessidade de aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
  • 4. Os comentários não poderão conter os seguintes itens: banners publicitários; websites que façam vendas online; material pornográfico; palavras de baixo calão; informação sobre atividades ilegais e/ou incentivo ao crime; atividades ilegais incluindo menores de 18 anos (de acordo com o disposto no artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente); material depreciativo; ofensivo e/ou mentiroso; propaganda política referindo-se a candidatos, partidos ou coligações, bem como propaganda a respeito de seus órgãos ou representantes; utilização do serviço, desvirtuando sua finalidade, com o intuito de cometer qualquer atividade ilegal; convite à participação em atividades de concursos, correntes, lixo eletrônico, spam ou quaisquer mensagens periódicas ou não solicitadas (comerciais ou não) ou abusivas.
  • 5. A presente Política contendo as condições de uso dos comentários no website do Idec é regida pela legislação vigente da República Federativa do Brasil. Os usuários submetem-se ao Foro exclusivo da Comarca da Capital do Estado de São Paulo para dirimir quaisquer questões porventura incidentes.
  • 6 .O usuário deve fornecer informações verdadeiras, exatas, atuais e completas quando efetuar o registro no formulário para realizar um comentário. Essas as informações são protegidas por senha para a sua segurança e privacidade.
  • 7. Os usuários declaram concordar com todas as condições descritas acima.
Limite de 256 caracteres. Enviar por e-mail
Para:
Todos os campos são obrigatórios.

Filtrar por tema:

  • Enquetes

    Direitos do Consumidor

    Você já entrou com ação na Justiça por um problema de consumo?

  • Revista

    Banda Larga Fixa

    Músicas virtuais, problemas reais

    Avaliamos os sites Escute, Sonora  e UOL Megastore,e constatamos práticas que desrespeitam os consumidores, como músicas que só rodam em determinado programa, cópias limitadas e bloqueio ao fim da assinatura do serviço

RECEBA NOSSOS INFORMES
SIGA O
Linked.in RSS Twitter Facebook