• RECEBA NOSSOS INFORMES
  • 29 de maio de 2017

Em Foco

Fique por dentro das atividades do Idec e das notícias de seu interesse

Filtrar conteúdo por tema:

tamanho do texto -A +A normal

Transgênicos 14 Abr 2016

Rotulagem de transgênicos: saiba como está o andamento do PL no Congresso

Idec esclarece como está a tramitação do PL 4.148 e pede apoio para campanha contra a sua aprovação, que ameaça o direito à informação dos consumidores
 


Na semana passada, uma série de posts em redes sociais “ressuscitou” o Projeto de Lei (PL) nº 4.148/2008, que pode acabar com rotulagem de alimentos transgênicos. A onda de compartilhamentos levou alguns internautas a acreditar que o PL havia sido aprovado. Felizmente, não foi. Ele segue em tramitação no Senado.
 
O projeto está agora em discussão na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), sob responsabilidade do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), relator designado para o assunto desde março deste ano. Qualquer pessoa pode acompanhar o andamento do PL 4.148 por meio deste link
 
Antes de ir para a CRA, o projeto foi analisado pela Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) do Senado. Em outubro do ano passado, a CCT deu parecer contrário ao projeto de lei, depois de realizar uma audiência pública sobre o tema que contou com a participação do Idec. A rejeição, porém, não foi suficiente para extinguir o PL, que seguiu para análise em outras em outras comissões. 
 
O Senado é o segundo palco de discussão do PL 4.148. Ele começou a ser discutido na Câmara dos Deputados, em 2008. Em abril de 2015, o projeto foi aprovado pela Câmara, com 320 votos a favor e 135 contra. Veja aqui os deputados que votaram contra e a favor. 
 
Desde o início da tramitação, o Idec disponibilizou uma cartilha com informações sobre os riscos dos transgênicos. Além disso,  mantém uma campanha permanente contra o projeto, em que qualquer pessoa pode se inscrever e mandar mensagens com argumentos contra o PL 4.148 para senadores. Participe! 
 
Entenda os problemas do PL
 
De autoria do deputado Luiz Carlos Heinze (PP-RS), o PL propõe alterar a Lei de Biossegurança para isentar produtores de alimentos de indicar no rótulo a presença de transgênicos no produto quando os ingredientes geneticamente modificados não ultrapassar 1% de sua composição. A informação só seria obrigatória mediante análise laboratorial. 
 
Além disso, o projeto quer extinguir o símbolo gráfico que identifica o uso de transgênicos, um “T” inscrito em um triângulo amarelo.
 
O Idec é contra a proposta porque, na prática, ela acabaria com a rotulagem de transgênicos, já que, em muitos casos, a identificação de organismos geneticamente modificados no produto final é muito difícil devido ao processamento do alimento. 
 
Dessa forma, a proposta fere o direito à informação adequada e clara garantido pelo artigo 6°, III, do Código de Defesa do Consumidor (CDC). “Se esse PL for aprovado, a identificação de alimentos transgênicos será prejudicada, assim como o direito de escolha do consumidor que não quer consumir esses produtos para evitar riscos à sua saúde e impactos negativos ao meio ambiente associados a eles”, afirma Ana Paula Bortoletto, nutricionista e pesquisadora do Idec.   
 

Avalie este conteúdo
  • Nenhum comentário, seja o primeiro.

Deixe o seu comentário


  • Caracteres restantes: 1000
  • 1. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.
  • 2. O Idec não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários, que não são revisados. Havendo necessidade, o Idec reserva-se o direito de eliminar comentários em desacordo com o propósito do site.
  • 3. Se, por mais de uma vez, forem descumpridas quaisquer regras contidas na presente Política ou forem verificadas ilegalidades, o comentário será automaticamente excluído do website do Idec. A qualquer instante, o sistema de inclusão de comentários poderá ser cancelado sem necessidade de aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
  • 4. Os comentários não poderão conter os seguintes itens: banners publicitários; websites que façam vendas online; material pornográfico; palavras de baixo calão; informação sobre atividades ilegais e/ou incentivo ao crime; atividades ilegais incluindo menores de 18 anos (de acordo com o disposto no artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente); material depreciativo; ofensivo e/ou mentiroso; propaganda política referindo-se a candidatos, partidos ou coligações, bem como propaganda a respeito de seus órgãos ou representantes; utilização do serviço, desvirtuando sua finalidade, com o intuito de cometer qualquer atividade ilegal; convite à participação em atividades de concursos, correntes, lixo eletrônico, spam ou quaisquer mensagens periódicas ou não solicitadas (comerciais ou não) ou abusivas.
  • 5. A presente Política contendo as condições de uso dos comentários no website do Idec é regida pela legislação vigente da República Federativa do Brasil. Os usuários submetem-se ao Foro exclusivo da Comarca da Capital do Estado de São Paulo para dirimir quaisquer questões porventura incidentes.
  • 6 .O usuário deve fornecer informações verdadeiras, exatas, atuais e completas quando efetuar o registro no formulário para realizar um comentário. Essas as informações são protegidas por senha para a sua segurança e privacidade.
  • 7. Os usuários declaram concordar com todas as condições descritas acima.
Limite de 256 caracteres. Enviar por e-mail
Para:
Todos os campos são obrigatórios.

Filtrar por tema:

  • Enquetes

    Alimentos

    Você é a favor de manter o símbolo "T" no rótulo para identificar o uso de transgênicos?

  • Revista

    Banda Larga Fixa

    Músicas virtuais, problemas reais

    Avaliamos os sites Escute, Sonora  e UOL Megastore,e constatamos práticas que desrespeitam os consumidores, como músicas que só rodam em determinado programa, cópias limitadas e bloqueio ao fim da assinatura do serviço

RECEBA NOSSOS INFORMES
SIGA O
Linked.in RSS Twitter Facebook